quarta-feira , 25 maio 2022
Capa » Artigos técnicos » Supervisionar ou treinar seu time?

Supervisionar ou treinar seu time?

Por Valdez Monterazo*

Supervisionar atividades e resultados da equipe é um dos maiores desafios para inúmeros líderes. São muitos os que não gostam de cobrar e supervisionar, tem medo de ser invasivos, incomodar ou perder o relacionamento com a equipe. Outros fazem isso de maneira exagerada. Micro gerenciam cada atividade, cada decisão e não dão a autonomia necessária para que o time exerça sua função de maneira otimizada.

Acontece que uma equipe tensionada ao extremo ou largada não produz como deveriam. Supervisionar está relacionado a garantir que as atividades delegadas serão realizadas e que as prioridades não serão esquecidas. Nesse sentido, fica a pergunta: como supervisionar de maneira otimizada?

Para fazer isso, é importante sempre avaliar o nível de competência e expertise do colaborador. Para cada fase de desenvolvimento, uma forma é um nível diferente de energia são investidos.

– Baixa competência:

Essa fase é a que exige maior energia na supervisão e formação do colaborador. Alguns pontos para se ter em mente incluem: direcionar e ensinar o colaborador como fazer, montar o planejamento e agenda de checkpoints, monitorar de cada etapa e dar feedbacks constantes.

– Média competência

Aqui ele está mais familiarizado com as atividades, mas ainda não está plenamente apto a executar sozinho, neste ponto: tire dúvidas sobre a execução da atividade, monte planejamento e agenda de checkpoints junto ao colaborador e feedbacks nos checkpoints.

– Alta competência

A partir deste nível, a energia gasta em supervisão de atividades diminui drasticamente. De toda forma, se atente aos seguintes pontos: apresente a tarefa e o resultado desejado, peça para o colaborador montar e apresentar planejamento e checkpoints menos frequentes e quando achar necessário.

– Expert

Ao lidar com experts, a energia de supervisão é mínima, é onde todo líder deve mirar quando se trata do desenvolvimento do time. Apresentar tarefa e resultado esperado, fazer checkpoints quando achar necessário e dar feedback ao final do processo.

Talvez você já tenha percebido ao ler cada modelo de supervisão e formação do time, mas vale a pena deixar claro: quanto maior a energia de formação, direção e treinamento do time, menor a energia de supervisão.

Portanto, não economize tempo e energia em capacitar seus colaboradores até que se tornem experts em suas funções.

E você? Como vem exercendo a supervisão dos seus times?

Convido você a refletir sobre a melhor forma de supervisão baseado no nível de cada liderado que você possui. Ao fazer isso, você estará otimizando o seu tempo e o dele.

Espero que ao ler até aqui, você tenha tomado posse de insights poderosos para melhorar a sua gestão é assim, aumentar drasticamente a performance dos seus colaboradores.

 *Valdez Monterazo é associado sênior na Sociedade Brasileira de Coaching, especializado em negócios, liderança e psicologia positiva. Tem cases de sucesso e promove resultados em diversos segmentos de pequenas e médias empresas. Saiba mais em: https://valdezmonterazo.com.br

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*