domingo , 21 abril 2019
Capa » Mercado » Geração de emprego surpreende no varejo alimentar e fevereiro tem melhor resultado dos últimos cinco anos

Geração de emprego surpreende no varejo alimentar e fevereiro tem melhor resultado dos últimos cinco anos

Criação líquida de 784 vagas quebrou a sequência negativa que vinha desde 2015 no mês de fevereiro e é o segundo melhor resultado para o mês em dez anos.

Fevereiro é um mês onde começa uma tímida retomada no emprego, porém, em 2019 o cenário foi bem diferente do visto nos últimos anos. De acordo com levantamento feito pela Associação Paulista de Supermercados (APAS), o setor de varejo alimentar no estado fechou abriu 784 postos de trabalho no segundo mês de 2019. Este foi o melhor resultado para o mês desde 2014, quando foram observadas 1.906 contratações.

 

“Alguns fatores podem explicar este bom resultado de fevereiro, como o aumento da confiança do consumidor, o emprego formal voltando aos poucos, o verão mais quente e a páscoa em abril com expectativas de 5% de aumento de vendas. Devido a este cenário favorável, o setor respondeu com um número de contratações superior aos péssimos resultados dos últimos”, explicou o economista da APAS, Thiago Berka.

Quando se faz uma análise por canal o segmento de Supermercados e Hipermercados ainda é o grande responsável pela maioria das contrações e encerrou fevereiro 839 novas vagas. Por outro lado, o setor de atacado/atacarejo voltou a sofrer com os desligamentos e finalizou o mês com 112 demissões.

“Este resultado se deve porque o canal de super e hiper começou a ter melhores respostas de consumo, com relativa volta do consumidor. Como este tipo de canal emprega mais que atacarejos e atacados, muito por conta da quantidade e tamanho das lojas, sua retomada nas contratações influencia positivamente o emprego”, comentou Berka.

Apesar do bom resultado o Estado de São Paulo ficou apenas em terceiro lugar quando olhamos o setor do varejo alimentar. O destaque de fevereiro foram os estados do Paraná e Pará, que ficaram praticamente empatados na liderança com, respectivamente, 836 e 830, vagas criadas. “É interessante observar o resultado destes estados que cresceram consideravelmente o número de funcionários, com uma quantidade menor de lojas”, disse o economista da APAS.

Quando olhamos apenas para as cidades do Estado de São Paulo, a capital foi a grande responsável por puxar a forte criação de empregos, com 768 vagas, quase 100 a mais que as 670 obtidas em fevereiro do ano passado. Em segundo lugar aparece Mauá, na região do ABCDM paulista, com 182 contratados, um número muito melhor que as 145 demissões no mesmo mês de 2018.

 

 

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*