quinta-feira , 6 agosto 2020
Capa » Bebidas » Exclusivo: PepsiCo Brasil Foods se adapta à nova realidade e registra crescimento
Exclusivo: PepsiCo Brasil Foods se adapta à nova realidade e registra crescimento
David Kahn

Exclusivo: PepsiCo Brasil Foods se adapta à nova realidade e registra crescimento

Em entrevista exclusiva ao Portal 2A+ Alimentos, David Kahn, VP de Vendas na PepsiCo Brasil Foods, falou sobre as ações da empresa contra a contaminação pelo coronavírus e destacou o aumento na venda de produtos.

A PepsiCo Brasil Foods trabalha para garantir a saúde e o bem-estar de de seus colaboradores, seguindo os mais rigorosos protocolos de saúde e segurança em todas as nossas unidades fabris, centros de distribuição, escritórios e principalmente entre a equipe de vendas, prestando toda a assistência necessária e reforçando a comunicação para garantir que as medidas fossem cumpridas da forma correta.  “Por sermos uma indústria considerada essencial no momento de pandemia, que não pôde parar, tivemos que rapidamente nos adaptar, adotar todas as medidas necessárias e reforçar a comunicação com todo o time, a fim de transmitir as informações corretas, tranquilizá-los e manter o engajamento para continuarmos com a missão de abastecer os lares brasileiros. E o engajamento de todo o time nos enche de orgulho e gratidão”, explica o VP de Vendas David Kahn.

A empresa possui mais de 10 mil funcionários no Brasil, sendo que cerca de 90% deles estão na linha de frente, produzindo e distribuindo alimentos e bebidas. Dentre os exemplos das medidas adotadas, Kahn cita a distribuição de máscaras, álcool gel e orientações de distanciamento social. “Além disso, algo que tem feito a diferença é a permanente assistência que temos dado a eles e seus familiares. Esse é um momento que pede empatia, transparência e humanidade. Disponibilizamos uma linha de apoio, que funciona todos os dias da semana, para esclarecer dúvidas diversas sobre a COVID-19”, afirma. E continua: “fizemos parceria com o Hospital Albert Einstein, para que todos os funcionários e seus dependentes pudessem fazer consultas on line com médicos renomados, sobre qualquer tipo de problema (não só relacionados ao coronavírus), assim não precisariam, em um primeiro momento, se deslocar para um hospital e correr riscos desnecessários. Tudo isso sem nenhum custo adicional para o colaborador. Trouxemos também mais opções de transporte para que os funcionários pudessem se deslocar com segurança e intensificamos os protocolos de higienização e distanciamento social dentro de nossos espaços”.

Além disso, a PepsiCo foca esforços também no apoio ao varejo, em especial o pequeno comerciante, que foi altamente impactado pela crise. ”Eles são importantes motores da economia e precisam da ajuda das grandes empresas.  Para apoiar o pequeno varejista na retomada de seus negócios, a PepsiCo e mais sete das principais companhias de alimentos e bebidas do país se uniram para criar um movimento de apoio aos pequenos varejos, denominado ‘Movimento NÓS'”,” diz o executivo.

Por meio do Movimento NÓS, uma coalizão composta por PepsiCo, Ambev, Aurora Alimentos, BRF, Coca-Cola Brasil, Grupo Heineken, Mondelēz International e Nestlé,  é viabilizado o apoio ao pequeno varejo na retomada de seus negócios. “Serão beneficiados mais de 300 mil pequenos comércios em todo o Brasil, que empregam cerca de 1 milhão de pessoas e proporcionam impacto positivo em aproximadamente 3 milhões de vidas, incluindo as famílias destes empreendedores”, diz Kahn.

O VP de Vendas acredita que a maior contribuição que a empresa poderia fazer era ajudar as famílias mais impactadas a terem acesso à alimentação. “Sabemos que levar alimentos e bebidas para o dia a dia faz toda a diferença na vida dessas pessoas mais vulneráveis, principalmente em um cenário de pandemia.  Dessa forma, atuamos também nas doações de alimentos e bebidas em todo o Brasil às comunidades mais afetadas pela Covid-19. Doamos mais de 1 milhão de unidades de produtos, que representam cerca de 140 toneladas de alimentos como água de coco, aveia, bebida láctea, biscoitos, entre outros. E também vamos distribuir cestas básicas, via Banco Mundial de Alimentos, e apoiar as cooperativas de reciclagem com a renda de seus cooperados”, afirma. “Sabemos que o momento é delicado, mas temos a certeza de que, juntos, sairemos ainda mais fortes”, conclui Kahn.

Aumento nas vendas

O desempenho na venda de produtos, segundo David Kahn, está em linha com as expectativas da empresa, considerando todos os desafios deste momento. “Anunciamos no último dia 13 de julho os nossos resultados globais do segundo trimestre de 2020, que corresponde aos meses de março, abril e maio. No Brasil, apesar dos desafios impostos pelo cenário atípico de pandemia, a companhia registou crescimento de 7% em receita orgânica, resultado das estratégias de adaptação do negócio local frente aos novos hábitos e perfil de consumo no período”, ressalta.

Ao redor do mundo, prossegue Kahn, o segmento de Snacks permaneceu bastante resiliente com 5% de crescimento em receita orgânica, impulsionado pelo aumento do consumo de alimentos consumidos em casa. Seguindo essa mesma tendência, na América do Norte, a receita orgânica de Quaker aumentou 23% no período. “Produtos que são habitualmente consumidos em casa, durante o café da manhã, como a aveia Quaker, achocolatado Toddy e biscoitos Mabel apresentaram crescimento neste período. Com o isolamento social, observamos essa volta das refeições feitas em família. Os snacks acabam sendo consumidos de forma compartilhada”, finaliza.

Redação: Portal 2A+Alimentos. Permitida a reprodução parcial ou total desde que citada a fonte 2A+ Alimentos com link para esta página. A não inclusão desta informação com link implicará nas medidas legais previstas em lei.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*